sábado, 21 de fevereiro de 2009

[ NOTÍCIA DA SEMANA 2 ] Europeus e americanos se unem para explorar luas de Júpiter


A Agência Espacial Americana (Nasa) e a Agência Espacial Europeia (ESA) anunciaram um plano ambicioso para enviar sondas para o sistema de Júpiter e duas de suas luas, Europa e Ganimedes.

A proposta pode vir a ser o próximo grande projeto das agências espaciais, após a bem-sucedida missão Cassini-Huygens enviada ao sistema de Saturno.

"Esse esforço conjunto é um desafio maravilhoso e será um dos marcos da ciência interplanetária do século 21", disse David Southwood, diretor de exploração científica e robótica da ESA.

Embora o projeto bilionário seja de longo prazo e possa ser adiado ou cancelado por falta de verbas, se viabilizado, pode fornecer informações importantes sobre a lua Europa, um dos locais com potencial de ter abrigado vida.

Vida
Os cientistas acreditam que, sob a superfície gelada de Europa, corre um oceano submarino.
"Uma missão à lua gelada de Júpiter, Europa, nos levaria a um dos habitats mais prováveis no Sistema Solar, excetuando a Terra", disse Louis Friedman, diretor da The Planetary Society, uma das maiores instituições não-governamentais do mundo dedicada à astronomia.
Ele elogiou o fato de que europeus e americanos devem dividir os custos e conhecimento científico "tornando o projeto mais razoável e aumentando seu apoio".
A equipe do Europa Jupiter System Mission (EJSM) recomendou que tanto a Nasa como a ESA enviem suas sondas orbitais.
A ideia é que a sonda americana (JEO) e a européia (JGO) explorem objetos diferentes e também ângulos distintos dos mesmos objetos.
Mas apenas a nave americana se aproximaria da lua Europa, por causa de seu grande índice de radioatividade. Os cientistas americanos acreditam que a JEO vai conseguir operar por meses, apesar da radioatividade.
A sonda europeia se concentraria na lua de Ganimedes, a maior de Júpiter. O plano é que ambas as sondas encerrem suas missões caindo sobre suas respectivas luas.

Folha Online

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

[ INFORME C.A. Carl Sagan ] Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica



A Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), a Agência Espacial Brasileira (AEB) e FURNAS Centrais Elétricas S/A, com o apoio do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), vêm através desta, convidar seu Estabelecimento de Ensino para participar da XII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE ASTRONOMIA E ASTRONÁUTICA (XII OBA), em 2009, no ANO INTERNACIONAL DA ASTRONOMIA.
A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) é um evento gratuito aberto à participação de escolas públicas ou privadas, urbanas ou rurais, para alunos desde a 1ª série do ensino fundamental até a última série do ensino médio. A OBA ocorre totalmente dentro da sua própria escola e tem uma única fase. A OBA ocorre totalmente dentro da sua própria escola e tem uma única fase. A participação dos alunos é voluntária e não há obrigatoriedade de número mínimo ou máximo de alunos. Ao final da OBA todos os alunos recebem um certificado de participação, bem como os professores envolvidos no processo e também os diretores escolares, além de uma vasta quantidade de material didático gratuitamente. Em 2009 toda escola participante receberá uma luneta como brinde.
A OBA tem se mostrado um evento altamente envolvente, pois o aluno quando se inscreve para participar acaba estudando voluntariamente muito mais os conteúdos da olimpíada, logo, ele já é um ganhador, pois quem estuda está ganhando. Por isso afirmamos que nesta olimpíada todos são ganhadores e somente quem não participa não está ganhando. Até mesmo os professores acabam aprendendo um pouco mais dos conteúdos da olimpíada quando inscrevem seus alunos para participarem da OBA.
O cadastro da escola pode ser feito online através do link “cadastro de nova escola” no site da OBA: www.oba.org.br.
A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (XII OBA) ocorrerá sexta-feira, dia 15/05/2009 no horário mais conveniente para a escola desde que a escola esteja previamente cadastrada para este fim junto à Comissão Organizadora Nacional da OBA. As provas serão enviadas com duas ou mais semanas de antecedência.
Os conteúdos das provas serão aqueles tipicamente encontrados nos livros didáticos e relacionados no regulamento. Por isso todos os alunos estão em condições de participar, não importando nenhum pouco se são alunos de escolas públicas ou privadas.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

[ INFORME C.A. Carl Sagan ] Clube de Astronomia Carl Sagan - Rede IYA2009


A Rede IYA2009 é uma estrutura mundial montada para organizar as atividades do Ano Internacional da Astronomia 2009. Participam desta rede 129 países, 29 instituições (dados atualizados em www.astronomy2009.org ) e cada país tem sua rede de Nós Locais. No Brasil temos hoje mais de 180 Nós Locais, congregando astrônomos amadores, cientistas, educadores e artistas.

Ela já é a maior rede de divulgação científica existente e tem a particularidade de conjugar esforços de diferentes setores da sociedade para melhorar a inclusão social na ciência.

A Rede IYA2009 se propõe a ter atividades permanentes, constituindo-se numa herança do Ano Internacional, que será concretizada pelo Portal do Universo.

No Mato Grosso do Sul existem 5 (cinco) nós locais, sendo apenas 2 (dois) em Campo Grande, para o Ano Internacional de Astronomia os dois Grupos estão trabalhando em parceria para divulgar a astronomia em Campo Grande

Fonte:

http://astroweb.iag.usp.br/~damineli/IYA2009/index.php?option=com_content&task=view&id=54&Itemid=51

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

[ INFORME C.A Carl Sagan ] Encontro Nacional de Astronomia


Já estão abertas as inscrições para o 12º Encontro Nacional de Astronomia (ENAST) e o 1º ELAST (Encontro Latino-Americano de Astronomia) que serão realizados em Londrina, nos dias 31 de outubro e 1º de novembro de 2009.

Juntos eles serão o maior evento brasileiro destinado à divulgação da Astronomia ao público em geral. 2009 é o "Ano Internacional de Astronomia" segundo a ONU, UNESCO e União Astronômica Internacional.

Serão dois dias de atividades como palestras, mini-cursos, exposições de Astrofotografias, de Foguetes, de Meteoritos, lançamento de mini-foguetes, sessões de planetário e uma grande "Astrofesta", com dezenas de telescópios para a observação do céu!

A página oficial do ENAST é http://www.enast.com.br. Para ir diretamente à página do 12º ENAST / 1º ELAST, acesse http://web.sercomtel.com.br/enast

[ NOTICIA DA SEMANA ] Imagem revela detalhes de ninho revoltoso de estrelas gigantes


Imagem produzida por pesquisadores do Observatório Europeu do Sul (ESO), localizado no Chile, revelam detalhes incríveis da nebulosa Carina. Localizada a cerca de 7.500 anos-luz da Terra, ela é um famoso ninho de estrelas de grande porte. Entre suas habitantes ilustres está Eta Carina, uma estrela binária gigante que, nos próximos milhares de anos, deve explodir numa potente hipernova. Ela é a estrela mais maciça conhecida hoje na Via Láctea.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

[ DICA C.A. Carl Sagan ] Chegou! Stellarium 0.10.1


"Além de um céu realista em 3D, a nova versão deste fantástico programa traz muitas novidades e melhorias."

Em comemoração os 4 séculos desde as primeiras observações telescópicas do céu feitas por Galileu Galilei, 2009 foi designado como o Ano Internacional da Astronomia. Os desenvolvedores do programa Stellarium resolveram dar um presente para os usuários lançando uma nova versão para este fantástico programa, com diversos recursos aprimorados e algumas novidades.

O Stellarium é um aplicativo gratuito que simula a abóbada celeste em tempo real. Ou seja, com ele o usuário pode observar estrelas, constelações, planetas, aglomerados, nebulosas e muito mais, tudo através da tela do computador, em 3D, e como se estivesse no chão, ao ar livre, olhando para o céu.

A simulação é rica em detalhes e, além de exibir diversas informações acerca de todos os corpos celestes, o Stellarium permite regredir ou avançar no tempo através de um sistema de datas e horários muito eficiente.

NOVIDADES DA VERSÃO

Menu principal
A primeira diferença notável nesta nova versão no programa diz respeito ao menu principal. Além de não ser mais fixo no canto esquerdo do programa, ele agora é dividido em duas partes. A parte com configurações como localização, data e horário pode ser encontrada do lado direito da tela.

A segunda parte, com as preferências de exibição é encontrada na parte inferior da tela do programa. Ao afastar o mouse dos menus, automaticamente eles serão ocultados. Para exibi-los novamente, basta arrastar o mouse até os cantos da tela. Além disso, o visual do menu está mais moderno, com ícones maiores e mais bonitos. Um show a parte!

Localização do observador
Para que o programa simule o céu exatamente como você vê, é preciso dar a localização exata da cidade em que você se encontra. As opções de busca por localidades do programa foram aperfeiçoadas e agora exibem uma lista bem maior de cidades e países.
Caso sua cidade não esteja na lista, você pode adicioná-la. É só escolher o planeta (sim, você pode escolher Saturno, Júpiter ou qualquer outro planeta e lua do sistema solar), país e, depois, entrar com as coordenadas – latitude, longitude e altitude - da cidade. Pronto, sua localização está na lista!

Paisagens diversas
A nova versão do Stellarium permite ainda que você escolha entre diversas paisagens para simular o ambiente de observação. A novidade fica por conta das novas opções de ambiente: Marte, Lua e oceanos!
Claro que se trata apenas de uma simulação, logo não espere ver o céu como se você estivesse em outro planeta ou em nosso satélite natural, pois a imagem exibida mostra o céu como visto da Terra!

Catálogo de constelações
Se você sempre teve a curiosidade de saber o nome das constelações em outras culturas, não precisa mais ficar procurando pela Internet.
A nova opção “Starlore” do Stellarium possibilita que você veja o nome que as constelações possuem para outros povos, como os chineses, egípcios, coreanos, navajos e muitos outros.

Tradução
O programa está parcialmente traduzido para o português do Brasil. Boa parte das opções, no entanto, ainda encontram-se em inglês. Se você gosta de astronomia e domina bem o inglês, pode ajudar a traduzir o Stellarium para o nosso idioma, é só entrar no site do desenvolvedor e se informar como proceder!
Fonte: http://www.baixaki.com.br/download/stellarium.htm

AVISO C.A. Carl Sagan [ "É extremamente recomendável possuir um computador de alto desempenho para aproveitar todos os recursos da nova versão, assim evitando transtornos como travamento e lentidão"]

Astronomia inspira Carnaval 2009!


Em 2009 pelo menos três escolas de samba tem como tema a Astronomia: Acadêmicos da Asa Norte (DF), Imperial de Atibaia (Atibaia-SP) e Unidos da Tijuca (RJ). É a Astronomia sendo divulgada em uma festa popular!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Telescópio Hubble descobre as belezas de galáxia "anêmica"



A constelação chamada Cabeleira de Berenice, a 320 milhões de anos-luz da Terra, possui uma das mais ricas coleções de galáxias do Universo mais próximo de nós. Entre elas, há um aglomerado particularmente interessante, chamado pelos astrônomos de Abell 1656 ou, mais popularmente, Aglomerado de Galáxias da Cabeleira.

O Telescópio Espacial Hubble agora conseguiu capturar toda a beleza da NGC 4921. Ainda que os detalhes não possam ser vistos na resolução aqui mostrada, os astrônomos pela primeira vez puderam ver detalhadamente as estrelas azuis destacadas contra as nuvens de poeira. Eles também visualizaram uma série de outras galáxias na vizinhança, ainda não estudadas em detalhe.

A imagem da NGC 4921 foi criada com a junção de 50 fotos, tiradas usando-se um filtro amarelo, num total de 17 horas de exposição, com 30 outras fotos tiradas com um filtro infravermelho, que tomaram outras 10 horas de exposição.

fonte: http://www.inovacaotecnologica.com.br

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Cometa verde aproxima-se da Terra


Neste mês de fevereiro, um cometa brilhante, chamado C/2007 N3 ou Cometa Lulin, será visível com simples binóculos (ou até a olho nu, em locais de céu escuro), atravessando as constelações de Libra, Virgem e Leão. Saiba como localizá-lo no céu e observá-lo durante todo o mês. Participe da campanha de observação!

A Secção de Cometas da Rede de Astronomia Observacional (REA) participa das atividades do Ano Internacional da Astronomia destacando a campanha Observacional do Cometa C/2007N3 Lulin. No momento o Lulin é o cometa mais brilhante disponível no céu e pode atingir a 4ª magnitude por volta da segunda quinzena de fevereiro, sendo visível por meio de simples binóculos. Este cometa foi descoberto em 11 de julho de 2007 pelos astrônomos Quanzhi Ye (Guangzhou) e Chi Sheng Lin (Lulin Sky Survey) e diversos observadores acompanham visualmente o astro desde julho de 2008.

Neste mês de fevereiro o cometa passará muito próximo de alguns astros de fácil localização no céu. Já no dia 6 o cometa passa próximo da estrela Zubenelgenubi (Alfa da Libra) a partir da 1 hora da madrugada. Nascendo cada vez mais cedo, o cometa passa próximo da estrela Spica (Alfa da Virgem) no dia 16 após as 22 horas. Uma das belas conjunções está marcada para a noite de 23 de fevereiro quando o cometa situa-se próximo ao planeta Saturno. Por fim, no dia 27 de fevereiro, é a vez da estrela Régulus (Alfa do Leão) receber a visita do Cometa Lulin.

Na carta celeste disponível no site da Sky Maps as posições do cometa estão marcadas a partir do dia 18 de fevereiro. Para obter a carta celeste de fevereiro/2009 em português: clique no link http://www.skymaps.com/downloads.html e procure no centro da página o título "Southern Hemisphere Edition" onde estão os mapas em português brasileiro.

Embora seja um cometa relativamente brilhante do ponto de vista astronômico recomenda-se o uso de binóculos apropriados e principalmente a observação em locais longe de poluição luminosa. As associações que organizarão atividades de observação pública poderão incluir o Cometa Lulin no programa de observação.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

[ INFORME CA Carl Sagan] Logo temático do Ano Internacional de Astronomia - 2009

O Clube de Astronomia Carl Sagan apresenta seu logo temático do Ano Internacional de Astronomia, o qual será utilizado ao longo do ano em todas as atividades e eventos organizados.


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Cientistas descobrem o menor exoplaneta



Cientistas franceses que trabalham com o satélite Corot, um telescópio de alta sensibilidade, informaram nesta terça-feira a descoberta do menor planeta fora do Sistema Solar, um exoplaneta. O Corot-Exo-7b, como foi batizado, é duas vezes menor que a Terra e orbita uma estrela semelhante ao Sol. Segundo a Agência Espacial Francesa (CNES), ele pode ser rochoso como a Terra e conter água.

"Pela primeira vez, detectamos um planeta que é 'rochoso' no mesmo sentido que a nossa Terra", disse Malcolm Fridlund, da Agência Espacial Européia. "Esta descoberta é um passo importantíssimo no caminho para a compreensão da formação e evolução do nosso planeta".

Cerca de 330 planetas já foram localizados na órbita de outras estrelas além do Sol. A maioria são gigantes gasosos, semelhantes a Júpiter e Netuno. O novo astro, contudo, é o mais parecido com a Terra até agora. Apesar das semelhanças, Fridlund considera improvável que abrigue vida, por conta da alta temperatura.

Inferno - Próximo da sua estrela, cerca de 2,5 milhões de quilômetros, a temperatura na superfície deste exoplaneta varia de 1.000 a 1.500 graus Celsius. A proximidade também resulta em um "ano" (período para orbitar toda a estrela) de apenas 20 horas.

Os astrônomos fizeram a descoberta quando o planeta passou diante da sua estrela, reduzindo momentaneamente o seu brilho. Cientistas dizem que essa descoberta é importante porque medidas recentes indicaram a existência de planetas com massas pequenas, mas seus tamanhos continuavam indeterminados até agora.

A maioria dos exoplanetas foi localizada por meio de medições indiretas, geralmente por causa dos seus efeitos sobre os campos gravitacionais das estrelas.

No novo caso, os pesquisadores disseram que conseguiram medir diretamente a superfície do planeta, que pode ser rochoso como a Terra e coberto por lava líquida. Ele também pode pertencer à classe dos planetas supostamente feitos de água e rocha em quantidades quase iguais, segundo eles.