quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Novos dados sugerem mudanças no modelo da Via-Láctea


Como todos sabemos, a Terra e nosso Sistema Solar se encontram no interior da Via-Láctea, uma galáxia em espiral que abriga mais de 200 bilhões de estrelas. Até recentemente os cientistas acreditavam que a Via-Láctea era composta de quatro braços principais, mas novas observações do telescópio Spitzer podem mudar esse conceito.

Da mesma maneira que os exploradores antigos mapearam os continentes, os astrofísicos modernos também mapeiam a estrutura espiral da Via-Láctea em busca de detalhes que possam ajudar a compreender um pouco mais sobre o local onde habitamos. E foi através desse mapeamento que descobriram que a elegante estrutura da Galáxia é dominada por apenas dois grandes braços, ao invés dos quatro até agora supostos.

Utilizando dados do telescópio espacial Spitzer, o astrofísico Robert Benjamin, da Universidade de Wisconsin junto a cientistas da Nasa criaram uma nova representação da Via-Láctea, que foi apresentada recentemente durante o 212º encontro da Sociedade Astronômica Americana.

De acordo com o modelo apresentado e visto na imagem acima, os dois maiores braços (Perseus e Scutum-Centaurus) partem das extremidades do eixo central da Galáxia, enquanto os dois braços menores e agora rebaixados (Norma e Sagitário) são menos imponentes e localizados entre os dos braços maiores.

Enquanto Perseus e Scutum-Centaurus são altamente densos, formados por um grande número de estrelas de todas as idades, Norma e Sagitário são primariamente preenchidos de gás e bolsões de atividade criados por estrelas em formação.


O Sol e a Via-Láctea
Assim como a Terra gira ao redor do Sol, toda a Via-Láctea descreve um movimento de rotação ao redor de um ponto central, mas seus componentes não se deslocam à mesma velocidade. As estrelas que estão mais distantes do centro movem-se a velocidades mais baixas do que aquelas que estão mais próximas.

Nosso Sol descreve uma órbita praticamente circular em torno da Via-Láctea e sua velocidade de translação é de 225 km por segundo. Para dar uma volta completa ao redor do centro da Galáxia o Sol leva aproximadamente duzentos milhões de anos. Como a idade da nossa estrela é de 5 bilhões de anos, podemos afirmar que desde que existe, o Sol já deu aproximadamente 25 voltas ao redor da Galáxia.

www.apolo11.com

Nenhum comentário: