segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Câmeras a postos: Júpiter e a Lua estarão colados esta noite!


Se você gosta de espetáculos celestes é bom começar a cruzar os dedos e torcer para as nuvens sumirem. Afinal, hoje à noite Júpiter e a Lua estarão juntinhos no céu e não será nem um pouco justo que São Pedro atrapalhe este espetáculo, não é mesmo?


Hoje à noite, duas horas depois que o Sol se pôr, um belo fenômeno de conjunção vai acontecer acima do quadrante oeste. Apesar de estarem bastante distantes um do outro, o gigantesco planeta Júpiter parecerá quase colado a ainda crescente Lua, proporcionando um dos últimos espetáculos celestes do ano. Juntos no firmamento, posarão como verdadeiros astros de Hollywood, ávidos pelos milhares de cliques dos fotógrafos de plantão.

Atualmente, Júpiter se encontra a 768 milhões de quilômetros da Terra e apesar da grande distância brilha muito forte no firmamento, com magnitude negativa de 1.9, o que torna o gigante gasoso uma espécie de farol celestial. Perto de Júpiter a Lua está praticamente na esquina, a 397 mil km de distância. Em fase crescente, seu disco se apresenta 40% iluminado. Mesmo a distâncias tão diferentes, nesta noite os dois estarão tão próximos visualmente que entre eles não caberiam mais que três luas cheias.


Muito brilhante
Normalmente, fotografias da Lua cheia não são tão fáceis de serem feitas. O astro brilha excessivamente e a relação de contraste entre as áreas claras e escuras é tão alta que, ou se registra bem as áreas iluminadas ou as de sombra, tornando o objeto um verdadeiro desafio para ser fotografado.

O mesmo vale para as observações com binóculos, lunetas ou telescópios. O brilho é tão intenso que deixa todos os acidentes selenográficos muito chapados, sem detalhes ou texturas. Além disso, o forte brilho causa grande desconforto visual.


Esta noite

Nesta noite, no entanto, as coisas estarão bem melhores. A Lua apresenta apenas parte de sua face iluminada e todas as regiões montanhosas ou crateradas entre o dia e a noite receberão a luz solar obliquamente, tornando a observação muito mais interessante para quem quiser olhar nosso satélite com instrumentos. Áreas de sombra ganharão vida e as crateras parecerão muito mais detalhadas.


Vendo os astros
Apesar da Lua e Júpiter nascerem bem mais cedo, por volta do meio-dia, os dois só poderão ser vistos no céu uma ou duas horas após o pôr do sol, o que ocorre na Região Sudeste por volta das 19h30. Assim, o melhor horário para ver será mesmo a partir das 21 horas, quando o céu estiver bem escuro.

O fenômeno poderá ser acompanhado até aproximadamente meia-noite, quando os astros mergulharão abaixo do horizonte e não poderão mais serem vistos. É tempo mais que suficiente para você se preparar, ajustar sua câmera em um tripé e manter o eterno pensamento positivo para que São Pedro não estrague as coisas!

Fonte: apolo11

Nenhum comentário: