sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Cometas podem ter contribuído para a formação dos oceanos.


Astrónomos encontraram pela primeira vez água num cometa com uma assinatura química igual à da água na Terra. A descoberta fornece assim mais força à teoria de que cometas ricos em água ajudaram a encher os oceanos da Terra há milhões de anos atrás.


Em adição à água comum (H2O) que toda a gente conhece, existem ainda outras formas em que o hidrogénio da molécula de água é substituído por deutério, um isótopo do hidrogénio de maior massa atómica. A água pesada possui dois átomos de deutério (D2O), enquanto a água semi-pesada possui apenas um (HDO). É a proporção entre deutério e hidrogénio na água que vai ditar a sua assinatura química.

Num estudo publicado na Nature, foram anunciadas novas medições do vapor de água na coma do cometa Hartley 2, com recurso ao Observatório Espacial Herschel. A coma é uma fina atmosfera gasosa que se desenvolve à medida que o cometa se aproxima do Sol e a matéria congelada é vaporizada. 

Os resultados indicam que a proporção de D/H no Hartley 2 é a mesma encontrada na água à superfície da Terra.Simulações de computador sugerem que o Hartley 2 é proveniente da cintura de Kuiper, uma região para além da órbita de Neptuno com corpos rochosos e gelados como Plutão, outros planetas anões e cometas.

Estes resultados sugerem que os cometas da cintura de Kuiper poderão ter desempenhado um papel mais importante do que se pensava na formação dos oceanos na Terra.

Até agora, todas as medições em cometas tinham revelado uma proporção de D/H diferente da encontrada na água da Terra, o que leva os investigadores a suspeitar que esses cometas sejam provenientes não da cintura da Kuiper, mas da mais distante nuvem de Oort, um reservatório de inúmeros cometas.


Fonte: Astro PT.

Nenhum comentário: