quinta-feira, 13 de março de 2014

NASA não encontra Planeta X, mas vai continuar procurando

Se existe de fato um Planeta X ele ainda não deu os ares da graça.[Imagem: T Pyle (SSC)/JPL-Caltech/NASA]

Elusivo, mas útil


Depois de rastrear centenas de milhões de objetos em todo o céu, a sonda espacial WISE (Wide-Field Infrared Survey Explorer), da NASA, não encontrou indícios do corpo celeste hipotético comumente chamado de "Planeta X".

Os cientistas levantaram a hipótese da existência de um corpo celeste grande, que deveria estar em algum lugar além da órbita de Plutão.

Sua presença poderia explicar a até agora inexplicável regularidade das extinções em massa encontradas nos registros arqueológicos da Terra.

Além disso, os dados indicam haver um padrão na queda de cometas na Terra, que são "arrancados" da distante Nuvem de Oort a cada 35 milhões de anos por algum evento que não se sabe o que seja.

Além de "Planeta X", o corpo celeste hipotético que poderia explicar esses eventos ganhou outros apelidos, incluindo Nêmesis e Tique (Tyche).

A NASA tem apostado pesado na tentativa de confirmação da existência do Planeta X porque não existem outras teorias para explicar esses eventos bem documentados - recentemente surgiu uma hipótese alternativa tentando ligar o padrão cíclico da queda de cometas com a matéria escura, mas a associação ainda é fraca demais porque ninguém sabe nada sobre a matéria escura.

Em ciência nada é definitivo


Mas a NASA afirmou em nota que as conclusões não são definitivas porque os astrônomos encontraram corpos celestes em cada uma das duas varreduras da WISE que não apareceram na outra.

Até agora foram analisadas duas varreduras do céu feitas pela sonda. É necessário comparar várias visualizações de cada corpo celeste para calcular sua distância da Terra - os mais distantes deslocam-se menos do que os mais próximos.

"Ambos os rastreios da WISE foram capazes de encontrar objetos que o outro não encontrou, sugerindo muitos outros corpos celestes provavelmente esperam para ser descobertos nos dados," diz a nota.

"Nós acreditamos que há ainda mais estrelas lá fora, esperando para serem encontradas pela WISE. Nós não conhecemos o quintal do nosso próprio Sol tão bem como você poderia imaginar," acrescentou o professor Ned Wright, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, cientista-chefe da missão.

Mãos cheias de estrelas


Este estudo mais recente não encontrou nenhum objeto do tamanho de Saturno ou maior a uma distância de 10.000 unidades astronômicas (au), e nenhum objeto maior do que Júpiter a até 26.000 au - a Terra está a 1 au do Sol, e Plutão a cerca de 40.

Mas os astrônomos não voltaram de mãos vazias.

A segunda varredura da WISE, que se concentrou em objetos fora do nosso sistema solar, descobriu 3.525 estrelas anãs marrons em um raio de 500 anos-luz do Sol.

As observações capturaram imagens de cerca de 750 milhões de asteroides, estrelas e galáxias.

Em novembro de 2013, a NASA tornou públicos os dados da WISE, que agora astrônomos do mundo todo estão usando para procurar por novos corpos celestes.

Em 2011, astrônomos da mesma missão acreditaram ter detectado o Planeta X, mas novas análises alteraram suas conclusões.

Outros mantêm a esperança de encontrar esse membro distante do Sistema Solar usando dados de outra missão, a Pan-STARRS.

Fonte: Inovação Tecnológica

4 comentários:

Rodrigo Siqueira disse...

Definitivamente não há nenhum planeta X. Não é possível que mesmo com essa varredura essa teoria ainda tenha forças.

Heloise do Nascimento Calça disse...

Rodrigo Siqueira, é um tanto incorreto dizer que "definitivamente" não existe algo, afinal o tempo todo hipóteses são derrubadas conforme dados são reanalisados com novas tecnologias.

E particularmente eu acho esse nome "Planeta X" bastante digno de teorias de conspiração, kkkkkkkkk.

Pow, NASA, custava um nome menos tendencioso? xD

Renan Aryel disse...

"Planeta X" já vem associado com um certo grau de teorias de conspiração kkkk

Mestre Delta disse...

Creio que o "X" faça alusão há variável "x", recorrente em matemática e física.

É um nome muito apropriado para um planeta hipotético, ainda não descoberto, pois na matemática, x também denota algo não descoberto, um problema a ser solucionado, um valor a ser encontrado.