quarta-feira, 6 de maio de 2015

Sonda Messenger encerra sua missão e abre cratera em Mercúrio


Com informações da New Scientist - 30/04/2015


Visão de cima da região de impacto da Messenger em Mercúrio
[imagem: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Carnegie Institution of Washington]


Colisão planejada


Conforme previsto e seguindo o roteiro planejado, a sonda espacial Messenger colidiu com a superfície de Mercúrio nesta quinta-feira (30).
A sonda, que entrou na órbita do planeta em 2011, ficou sem combustível e foi dirigida para uma queda na superfície do planeta.

Sonda Messenger sobre Mercúrio
 imagem: REUTERS/NASA
Na verdade, o combustível da Messenger acabou em Janeiro, mas em Abril os engenheiros da NASA ganharam um pequeno impulso extra liberando o gás hélio que era usado para pressurizar o combustível. Isto deu tempo para algumas observações adicionais.

Sem nenhum outro recurso para se contrapor à gravidade de Mercúrio, a Messenger colidiu com a superfície do planeta às 16h26 (horário de Brasília) a uma velocidade de 3,91km por segundo (14.080km por hora) e se desintegrou totalmente. No local do impacto – uma bacia denominada Shakespeare – foi aberta uma cratera estimada em 16 metros de diâmetro.

O exame da cratera formada poderá fornecer dados sobre o intemperismo da superfície esburacada de Mercúrio, sua densidade, consistencia e composição, mas é pequena demais para ser vista da Terra, além do que o telescópio espacial Hubble não pode olhar em sua direção, pois teria que apontar para o Sol.

Isto significa que os astrônomos não conseguirão dar uma boa olhada nela até que a missão nipo-europeia, chamada BepiColombo, que será lançado em 2017, alcançe a órbita do planeta em 2024.

Missão prolongada


A sonda Messenger, sigla de MErcury Surface, Space ENvironment, GEochemistry, and Ranging - que pode ser traduzida por Varredura da Superfície, Espaço Ambiental e Geoquímico de Mercúrio – foi lançada em 2004 do Cabo Canaveral.
A ultima imagem de Mercúrio capturada pela 
sonda Messenger antes da colisão [imagem:NASA]
Antes de entrar em órbita em Mercúrio, ela viajou 7,9 bilhões de quilômetros, depois de dar 15 voltas ao Sol, duas em torno de Vênus e uma em torno da Terra.


A missão foi inicialmente apenas para durar um ano, mas como a Messenger estava operando bem e retornando dados interessantes e descobertas, os cientistas prolongaram sua vida o máximo que podiam, e de acordo com a Nasa, a sonda coletou e enviou à Terra mais de 277 mil imagens nesse tempo.

Sua principal descoberta foi uma espessa camada de gelo nas regiões polares de Mercúrio, confortando a hipótese que dizia o mesmo.




fontes : NASAInovação TecnológicaCNNInfo AbrilCentral Brasileira de Noticias - CBN


Nenhum comentário: